CIRO GODOY

Dançarino, Músico e Educador. Formado em biologia em 2001, com foco nas relações entre o homem e o meio ambiente e no comportamento animal, iniciou suas práticas corporais em 1999, através do Kempo, inspirado nos movimentos dos animais, elementos da natureza e no arquétipo do guerreiro, sendo instrutor em oficinas, vivências junto à natureza e na preparação corporal de atores e bailarinos. Fez a preparação corporal em projetos de manutenção e criação dos espetáculos “Protocolo Volpone“ (2020) da Bendita Trupe, “Terror e Miséria no Terceiro Milênio” (2019) e “Efeito Cassandra, na calada da voz” (2017) do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos, “Cabras - cabeças que voam, cabeças que rolam” (2016) da Cia. Teatro Balagan, “Fragmentos Atemporais...” (2006) da Cia. do Desterro, “Devoração” e “Ancestralidade no Corpo” (2009) da Cia. Oito Nova Dança e “Ninhos, performance para grandes pequenos” (2013) da Balangandança Cia.

Em 2003, no Estúdio Nova Dança, em São Paulo, inicia seus estudos em Contato Improvisação, Dança Contemporânea, Improvisação Cênica, Palhaço e Educação Somática, entrando em contato com a pesquisa de nomes como Cristiane Paoli Quito, Tica Lemos, Lu Favoreto, Steve Paxton, Lisa Nelson, dentre outros. Foi nesse ambiente fértil e criativo que, em 2006, se torna integrante da Cia Damas em Trânsito e os Bucaneiros, desenvolvendo trabalho continuado, de criação e pesquisa de linguagem em Improvisação, Música e Dança. Entre 2007 e 2012 foi integrante da Cia. Oito Nova Dança, integrando o elenco dos espetáculos: “Arremesso” (2007), “Trapiche” (2007), “Intercambio Canibal” (2008) para criação do espetáculo “Devoração” (2009). Projeto “10 anos cia oito – ancestralidade no corpo” (2011) reestreando os espetáculos “Modos de Ver” (2001) e “Devoração” (2009). Sob direção de Cibele Forjaz, integrou o espetáculo “Ancestralidade no Corpo” (2011).

Desde 2013 é artista convidado da Balangandança Cia. onde pesquisa o Brincar, a Improvisação e a Dança Contemporânea para e com crianças, sendo interprete-criador nos espetáculos “Ninhos, performance para grandes pequenos” (2013), “O Tal do Quintal” (2006/2017) e “Presente! Feito da Gente” (2018). Devido ao seu interesse em tudo o que envolva as artes cênicas, também realiza trabalhos como iluminador e cenógrafo, criando o desenho de luz

dos espetáculos “Arremesso” e “Pianíssimo” da Cia. Oito Nova Dança e nas duas edições dos projetos do Núcleo Juanita (2014), e na criação de luz do espetáculo “Efeito Cassandra, na calada da voz.” (2017) do Núcleo Bartolomeu de Depoimentos.

retrato larissa.jpg
foto alex.jpeg
IMG_6177.JPG