PONTO DE FUGA RECRIAÇÃO

Realizado em 2015 através do projeto “Memórias, Afetos e Bicicletas: 10 anos da Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros”, contemplado com o Fomento à Dança da Cidade de São Paulo, o grupo decidiu revisitar seu primeiro espetáculo Ponto de Fuga com o desejo de recriá-lo. Nesta nova versão, a memória ainda é ponto de partida, mas novas estratégias são usadas para resgatá-las e compor com a dramaturgia, uma delas o compêndio de canções e músicas que atravessaram o processo de criação como dispositivos de reavivar memórias corporais e de situações vividas. Os espaços, fatos, histórias, sons, imagens, sensações, movimentos, músicas e recordações vivenciados e emergidos durante a pesquisa são materiais de criação a serem reorganizados na cena, na composição em tempo real, não como algo construído, mas como fragmentos, partes, frestas que vão sendo costurados, interligados, desconstruídos e transformados, no fluxo entre música e dança. A trilha musical tem como eixo a base sonora do piano que dá chão para o fluxo dos intérpretes entre dança, canto e instrumentos. Ponto de Fuga – recriação começa, ainda na chegada do público, com uma ocupação dos espaços da casa pelos artistas de olhos vendados, convidando os espectadores a sensorialidade do estar nestes espaços, aos poucos, o som do piano conduz dançarinos (as) e público para um espaço comum, um salão com mesas com cadeiras dispostas ao redor. Neste espetáculo, os intérpretes-criadores se colocam em risco criando e compondo no tempo presente da cena, a partir de uma escuta sensível e do jogo da improvisação.

FICHA TÉCNICA

CONCEPÇÃO | Cia Damas em Trânsito e os Bucaneiros. 

DIREÇÃO | Alex Ratton 

INTÉRPRETES_CRIADORES | Alex Ratton, Carolina Callegaro, Ciro Godoy,

Clara Gouvêa, Laila Padovan, Larissa Salgado e Rafael Montorfano. 

PARTICIPAÇÃO ESPECIAL | Maria Olinda.